quinta-feira, julho 03, 2008

- ars longa, vita brevis -
hipócrates
antes e depois ou “ó irmã sheila princesa do cabaret, gostei muito desta ideia de trazermos para Ascott as cadeiras incorporadas no chapéu.”, “achas que vão reparar?”, “onde? no convento? ninguém dá por nada. apalpei a perna esquerda ao frei porteiro e ele deixa-nos sair até às 02h da manhã.”, “até às 02h? ou o homem estava precisado ou o apalpão foi mesmo muito bom.”, “mãos prodigiosas que o Senhor fez. amén”, “graças a Deus, aleluia, aleluia, amén, graças a Deus.”, “que é isso?”, “olhe, estou a rezar pelo que há-de vir.”, “como assim? acha que alguém desconfia? eu dei mais um bifinho do lombo aos cães. e já preparei os cilícios para me castigar quando chegar.”, “não, não é nada no convento. a irmã Leona, arauta do saber sensorial, sabe que esta ideia dos chapéus cadeira não é original nossa.”, “ah sim! foi o Goya que inventou.”, “e sabe que o Goya era um bocado… um bocadinho…”, “um grande estudioso do sexo feminino. literalmente.”, “sim, isso.”, “mas era uma alma de Deus. e tanto pintou a Maja nua como a pintou vestida. todas as alminhas têm direito ao seu pecado para obterem o devido perdão.”, “temo que isso possa vir a acontecer connosco. só que o…”, “o que tudo vê.”, “sim.”, “não seja tão benevolente.”, mas isto não é grave. Só levamos a cadeira na cabeça porque não tínhamos dinheiro para comprar o chapéu e porque como o imposto sobre o uso do nome do Senhor em vão aumentou lá no convento, ninguém tinha verba para comprar bons lugares. claro, ficámos na zona de pé! mas também, para ver os tratadores de cavalos…”, “para ver os cavalos!”, “pois, para ver os cavalos não é necessário mais.”, “não sei, e este sapatos… são um bocadinho…”, “têm uma cor estridente. mas as cores estridentes têm de ter o seu lugar para valorizar a vestimenta branca.”, “e a vestimenta é tão…”, “diminuta no tamanho, mas grande na intenção porque se a irmã Cecília não tivesse tido a ideia de mandar fazer cortinas para a casa de banho podíamos ter feito vestimentas mais compridas. mas deixe estar irmã que o vestido curto realça as qualidades do Senhor que com pouco consegue fazer muito.”, “continua a ser pouco. e sinto-me retirada de um quadro do Dali. bem, felizmente foi de um “Capricho” do Goya. destesto Dalí”, “Deus nos livre, lagarto, lagarto, lagarto”:

Goya
They've already got a seat (Os Caprichos)

1797-98
South Australian Government Grant



Yasumasa Morimura
Look, This Is in Fashion!
2004

3 Comments:

Blogger João Barbosa said...

é por causa de postas destas que a malta gosta do seu belogue

3/7/08 10:21 da manhã  
Blogger beluga said...

vá lá, sejamos honestos, realistas e atentos aos comentários: a malta são três pessoas (João Barbosa, Ana e orlando!)

3/7/08 6:53 da tarde  
Blogger AM said...

a posta está estupenda e realmente muito divertida, o "antes e depois" é dos poucos em que o depois não fica a perder para o "original", mas olhe que levei muito a mal o seu esquecimento do am (smile)

7/7/08 8:57 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home