segunda-feira, junho 06, 2016

- não vai mais vinho para essa mesa -

Admiro-me sempre que ouço casais que se tratam por você:

- Estive à sua procura, Tomás.

Parece que esquecem essa "carícia da linguagem", como dizia o Balzac, que é o tratamento por "tu". E como ela é suave...

Pior ainda é quando os filhos tratam os pais por você:

- Ó mãe, a mãe não me vai levar à natação?

Aliás, o que é mesmo estranho, é haver casais que se tratam por você e têm filhos. Partindo do princípio que as crianças foram concebidas através do coito e não por inseminação artificial ou barriga de aluguer, imagino como teria sido esse coito:

- Tomás, acha que hoje à noite poderia fazer o obséquio de me penetrar vigorosamente?
- Decerto Pilar, decerto. Deseja pois que me posicione face a si como me posiciono no meu equídeo árabe, o Silver, na Feira da Golegã?
- Sim Tomás, esse é o meu desejo. Solicitava-lhe porém que hoje obnubilasse o cunnilingus pois os exercícios de Kegel deixaram-me extremamente cansada e com a zona vaginal fragilizada.
- O pompoarismo, quer você dizer?
- Não seja vulgar!
 

4 Comments:

Anonymous pedro b. said...


Um colega meu trata (ou tratava, porque ele já morreu) o irmão por tu e a irmã por você. Talvez fosse porque a irmã era a mais velha dos três, mas eu suspeito que deve ser porque a irmã é uma pedante e trata toda a gente por você.
Há muita gente que trata os pais por você e estes tratam-no/a por tu. (Ou seja, é uma relação desigual, em termos de hierarquia/ autoridade). O tratamento por vocês é muito raro entre cônjuges, mas não é incomum entre vizinhos e amigos de longa data, por ex. entre as gerações mais velhas.

Mas suponho que faz sentido distinguir entre o tratamento por tu dentro da família, e o tratamento por tu de estranhos ao meio familiar (sendo que entre esses "estranhos" poderão estar amigos íntimos, namorados/as, etc.). Para além de ser uma prática que varia com o meio e a classe social, o tratamento por tu dentro das famílias -ou melhor, o tratamento dos filhos em relação aos pais, para restinguirmos ainda mais o tema (doutro modo demasiado vasto), varia com a moda. Noutros tempos foi chique, nas classes sociais elevadas, os filhos (sobretudo os muito pequenos) tratarem os pais e avós por tu. Já nas classes populares, e.g. na província, tratavam-se os progenitores por "sr. pai" e sra. mãe" - ainda cheguei a ouvir, e aparece por exemplo em Miguel Torga, etc. (parte desse respeito secular sobreviveu no vossemecê e no você dos dias de hoje).
Depois, da mesma maneira que o chapéu e a roupa de cerimónia (fraques, smokings) caíam em desuso e passavam a ser usados pelos provincianos ou pelo criados (no caso do smoking, os empregados de café, de casino, etc.), também o “tu” passou a ser vulgar porque os populares, na sua ânsia de copiarem os ricos, usavam-no e então regressou-se ao você.
Há também o caso intermédio, em que os filhos tratam os pais por você, e estes os tratam por tu (mensagem subliminar: "não penses agora que somos iguais, o respeitinho é muito lindo).

6/6/16 11:54 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Muito bom. Parabéns. :)

6/6/16 4:36 da tarde  
Blogger beluga said...

Caro Professor

Olá boa noite. Os meus pais tratavam os pais deles (que o Senhor os guarde lá em cima a desafiar a lei da gravidade) por você, não porque pertencessem a uma classe social elevada. Era mais o contrário: havia o respeito do Sr. Pai e Sra Mãe algo que me lembra um dito: pobrezinhos mais honradinhos. Aliás, os meus pais tratavam os sogros por Pai e Mãe, o que para mim era estranho. E eu tratava os meus avós por você. Acho que era porque, para mim, os meus avós foram sempre muito velhos. Lembro-me deles sempre com as mesmas rotinas, sentados nos mesmos lugares a fazer as mesmas coisas. Tratá-los por você era sinal de respeito, pelo menos para mim. Calculo que agora exista cada vez mais o hábito dos miúdos tratarem os avós por tu.
Até conheço óptimas pessoas que tratam os filhos e os pais por você e são por eles assim tratados, mas faz-me confusão.

7/6/16 10:51 da tarde  
Blogger beluga said...

Caro anónimo

Olá boa noite. Obrigada.
Espero não ter incomodado ninguém...

7/6/16 10:52 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home