segunda-feira, abril 16, 2012

- ars longa, vita brevis -
hipócrates

antes e depois ou "foi você que pediu um Renoir". não sei se foi, mas porque o anónimo gostou, cá vai mais outro Renoir. antes de mais gostaria de dizer que não sou entendida em nada, mas nas minhas "inbestigações" descobri que o Renoir filho, por vezes, colocava nos filmes cenas que pareciam retiradas de quadros do Renoir pai e dos impressionistas em geral. até já tínhamos falado aqui de uma delas. Mas desta vez, alertada por um artigo do Guardian, resolvi ir em busca do "Boudu salvo de se afogar", traduzido por "Boudu querido"; ou seja, um filme do Renoir pai que conta a história de um vagabundo que é salvo por um burguês, casado e com a criada por amante. Após ter recuperado do Sena o vagabundo, o burguês sente-se na obrigação de lhe dar abrigo, enquanto Boudu que se opõe às regras e convenções sociais vai-lhe dando a volta. este personagem meio apalhaçado, tanto é submetido à regra social, como subjuga os outros às suas regras. estava então a ver o filme quando me deparei com esta cena, a cena do casamento junto ao Sena. Nela vemos um conjunto de pessoas a comer junto ao rio, numa varanda, muito semelhante ao que havia feito o Renoir pai. Ainda que pensem: "ah e tal, isso é muito rebuscado", vejam então esta cena do piquenique de um outro filme (Déjeuner sur l'herbe) e a referência óbvia não só ao quadro homónimo de Manet, como também ao Picnic na relva de Monet ou a Reunião familiar de Frederic Bazille.

Pierre Auguste Renoir
Luncheon of the boating party
1880-1881
The Phillips Collection, Washington

Jean Renoir
Boudu salvo das águas
1932

5 Comments:

Blogger Joao Barbosa said...

boa memória

21/4/12 4:09 da manhã  
Blogger beluga said...

a minha? caro joão, é sempre tão minimal nos comentários que nem sei muitas vezes o que dizer. vou ver os outros

22/4/12 1:38 da manhã  
Blogger Joao Barbosa said...

ando poupadinho por causa da troika, já nem uso palavras caras

24/4/12 1:16 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Cara Beluga.
Agradeço-lhe o texto sobre o Renoir. Não o pude fazer mas cedo porque estive estes últimos quinze dias sem internet. Continuarei atento ao seu belogue e sempre que achar oportuno intervirei.
Eu próprio vou olhar mais atentamente para os três grandes impressionistas Manet, Monet e Renoir.
Obrigado

25/4/12 8:19 da tarde  
Blogger beluga said...

Caro anónimo:
venha quando desejar e comente se quiser. mas tenho uma nota a fazer: não sou entendida nisto. não tenho formação nisto. sou uma autodidata (nem sei se agora se escreve assim e na realidade "autodidata" parece-me demasiado pomposo para aquilo que sou), uma pessoa que gosta disto: de correspondências artísticas, de iconografia, de cinema, pintura, literatura... e de parvoíces. Obrigada eu

25/4/12 10:53 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home