sábado, março 16, 2013

- o carteiro -

foi você que pediu?

caro antónio: já me tinha esquecido disso. ora nem de propósito hoje falou-se de magritte e de um pintor português de seu nome eduardo luiz que faz uma coisa que, vista pode dever muito ao bom gosto (falo por mim, há primeira vista detestei aquilo), mas que estudada, explicada... tem que se lhe diga. não sei muito sobre o pintor: sei que se interessa por vários assuntos, comme il fault. mas é, segundo o pouco que sei, a partir desses gostos distintos que ele elabora obra; ou seja, faz uma leitura independente das áreas pelas quais se interessa e forma, através de uma linguagem que é clássica (tem as gradações, as velaturas, as sombras...), um novo texto, um novo discurso. e vem isto a propósito e no seguimento de magritte porque neste quadro "c'est un oeuf", o autor trabalhou no mesmo sentido de magritte. 

















Eduardo Luiz
C'est un oeuf
1986

ao lermos o título da obra lembramo-nos de magritte. mas enquanto magritte diz "ceci n'est pas une pipe"; ou seja, diz que a imagem não é a realidade, eduardo luiz diz que a imagem é a realidade. mas a imagem que ele apresenta, e que é de um ovo, só é inteiramente compreendida se estivermos na posse do código, da chave que deslinda o signo, já que a sua pintura é de signos. é que só quem sabe ler francês e percebe numeração romana (um ocidental, provavelmente) - e por isso sabe ler o título do quadro (isto é um ovo) - pode ler a inscrição abaixo do ovo: VII.I.IX. Ou seja, lida a numeração romana em francês obtemos uma expressão homófona para c'est un oeuf. (seria então sept.un.neuf). E as risquinhas? ora uma vez inquirido, o autor disse que ao observar a ginástica ocidental percebeu que o uso das fitas era expressão de virtuosismo, enquanto que o uso das mesmas fitas (ou semelhantes) no ballet oriental era signo. o que ele faz é misturar o que é decoração com o que é interpretação.

3 Comments:

Blogger António Machado said...

são "gracinhas"
enfim, cada um risca o que pode (ou pode o que risca...)

16/3/13 7:06 da tarde  
Blogger alma said...

In-justo! Caro António.

17/3/13 11:54 da tarde  
Blogger beluga said...

cara alma:
apreciadora de magritte e sucedâneos (não estou a dizer que este autor é um sucedâneo de magritte, mas compreende)?

18/3/13 1:02 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home