quarta-feira, dezembro 05, 2012

- ars longa, vita brevis -
hipócrates

para esquecer o Banco Alimentar e alimentar aqui o pessoal com o que verdadeiramente interessa (bom, como dizia o Robert Motherwell, de facto a arte não é mais importante que a vida, mas a vida sem arte é muito pobre), vou mostrar-vos uma coisinha que descobri há pouco e que é o "berdadeiro" ponto de fuga. No quadro de Vermeer, "Woman holding a balance", se seguirmos a linha da mesa e da janela, vemos que o ponto de fuga se encontra no dedo da menina.

















Vermeer
Woman holding a balance
1664
National Gallery of Art, Washington



Mas, se observarmos mais de perto vemos um ponto, um furo no dedo dela. O furo que corresponde ao lugar onde o pintor colocou o alfinete (esperemos que Vermeer tivesse dinheiro para os seus alfinetes) para desenhar a perspectiva. Só é possível ver isto no Google Art Project, de onde tirei a imagem. Também a clareei um pouco para que pudessem ver o ponto. Bem, vou para dentro ouvir. beijos, abraços cafunés e cheiro no cangote dji ocês. 


















Vermeer
Woman holding a balance (pormenor)
1664
National Gallery of Art, Washington

5 Comments:

Anonymous ana said...

fantástico! descobriste ou contaram-te?

5/12/12 3:19 da tarde  
Blogger António Machado said...

caso para perguntar: a menina pica-se? (smile)

5/12/12 9:50 da tarde  
Blogger António Machado said...

o que é engraçado é que a pintura parece "flutuar" no espaço... des-largada de qualquer "perspectiva" (nesse sentido tem qualquer coisa de... chinês...)

5/12/12 9:54 da tarde  
Blogger beluga said...

Ana, contaram-me. Porquê? Ficas desiludida?

Caro António:
está menina não, aquela sim. nunca tinha pensado nisso da pintura chinesa a levitar... vou ter de "inbestigááááár" isso.

6/12/12 1:13 da manhã  
Anonymous ana said...

não fico nada desiludida, era só curiosidade. Para mim vale de qualquer das maneiras, soube por aqui :) Seja como for, a pintura é lindíssima

6/12/12 11:38 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home