segunda-feira, fevereiro 27, 2012

- ars longa, vita brevis -
hipócrates

antes e depois ou quase ao mesmo tempo ou "vamos lá ver se me consigo concentrar porque estou a ouvir Nick Cave e bem sabem que isto me desconcentra. Theodore Robinson, como muitos outros antes dele e muitos outros no seu seguimento, pintou a partir de fotografias, o que não o diminui em nada. Quero por isso falar de outras coisas que não a diferença entre a fotografia e o quadro. Theodore Robinson era um impressionista americano. Sim, também os havia americanos, com ligações - em alguns casos e este é um deles - a França. Foi através dele, principalmente dele, que a América teve Impressionismo e teve contacto com o Impressionismo francês. Robinson, por exemplo, passou o Verão de 1887 em Giverny e embora tivesse dado a conhecer o Impressionismo francês, não foi através dele que desejou tornar-se conhecido, tendo por isso tentado distinguir-se de Monet de quem era bom amigo. Este quadro marca uma viragem no tempo que Robinson esteve em Giverny. Esse mesmo tempo pode ser dividido em dois períodos diferentes. Até aqui, até ao início dos anos 90 Robinson pintou sobretudo com pincelada pesada, redonda e breve, ao estilo de Pissaro. Mas a partir daqui a pincelada tornou-se mais leve e luminosa. Ora aqui ele ainda parece trabalhar quase manchas de cor, como podemos ver na água (a verde e roxo), no canto inferior direito. Mas em pequenos apontamentos o pintor tenta soltar a pintura e aplicá-la mais amiúde, mais solta e salpicada. A paleta é, na minha opinião, aquilo que mais limita o quadro. Há uma distância que procuramos ter com o quadro; não sentimos uma empatia imediata, talvez pela mancha branca dos barcos em contraste com a água bastante escura. se a água reflete o céu, então existe neste quadro uma discrepância entre um céu carregado e um dia tão iluminado como nos faz crer a luz presente no barco. é pelo menos o que eu acho, mas tendo em conta que não é um autor muito conhecido, corro o risco de estar a fazer uma análise que sirva uma ideia minha que é a que o Impressionismo francês é o melhor. Talvez não seja, mas parece. Também convém referir que segundo aquilo que penso, mesmo o pior Robinson pode ser melhor que o melhor Renoir!
Theodore Robinson
Two girls in a boat
1890


Theodore Robinson
Two girls in a boat
1891
The Phillips Collection, Washington

2 Comments:

Blogger AM said...

acho a foto melhor
mais "tensa" (gosto dos barcos encalhados a encher o espaço)

27/2/12 8:53 da tarde  
Blogger beluga said...

para falar a verdade, não gosto nem do quadro nem da fotografia, mas não podemos ser geniais nem achar as minas de sabão amarelo todos os dias.

2/3/12 1:28 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home