sexta-feira, dezembro 31, 2010

- não vai mais vinho para essa mesa -

[na aula de História da Arquitectura Clássica]
- Alguém sabe porque é que as arquitecturas religiosas mudam tão pouco ao longo dos tempos? Alguém? Inês, diga lá porque é que as Arquitecturas ditas religiosas e as funerárias não mudaram muito.
- ...
- Diga lá porque é que as arquitecturas funerárias são sempre iguais.
- Professor... é assim... os mortos estão mortos... eles não se importam...

5 Comments:

Blogger AM said...

saia imediatamente dessa aula
melhor, ataque violentamente (smile) o professor (e a dita Inês)
a arquitectura religiosa e funerária muda pouco!!!???

1/1/11 10:00 da tarde  
Blogger beluga said...

Caro AM:
vai-me desculpar, eu não sei nada disto, mas acho que sim, que mudou pouco (não pelas razões que a Inês enunciou). Campas rasas, túmulos no exterior do templo, mausoléus, jazigos, gavetões, campas ajardinadas... no fundo a arquitectura funerária resume-se ao local do corpo e à inscrição. Na minha opinião não teve grande evolução porque para mudar tinham de mudar os paradigmas religiosos, e como sabemos os rituais associados à morte mudam pouco, mudaram pouco ao longo de tempo. Diga-me lá de sua justiça que eu até estou com receio...

3/1/11 12:01 da manhã  
Blogger AM said...

dizer que a arquitectura funerária muda pouco porque é pouco mais que a sinalização da deposição (e enterro) do corpo é mais ou menos (parece-me) como dizer que a arquitectura (toda ela) muda pouco porque é pouco mais que a temporária "guarida" dos corpos (dos vivos)
é que a mudança, em arquitectura, tem menos a ver com as funções mais "profundas" que com a maneira como a vamos fazendo "variar" em função de estilos e outras... modas...
não sei se me fiz explicar...

5/1/11 8:28 da tarde  
Blogger beluga said...

AM:
percebi (e de facto faz sentido) que pela minha ordem de ideias então as arquitecturas ditas "normais" também não tinham evoluído. Mas não sei como justificar isto. Para mim existem diferenças entre uma e outra e não são só as formas de uso, é o simbolismo. Diga-me se fui de encontro à sua ideia.

7/1/11 12:55 da manhã  
Blogger AM said...

mas a arquitectura sempre foi "simbólica" ou sempre fez uso de simbolos
penso que sim, que foi de encontro da "minha" ideia mas continuo a pensar que não faz muito sentido dizer que a arquitectura funerária têm mudado pouco

7/1/11 9:13 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home