quinta-feira, outubro 21, 2010

Diz-me que solidão é essa
Que te põe a falar sozinho
Diz-me que conversa
Estás a ter contigo

Diz-me que desprezo é esse
Que não olhas para quem quer que seja
Ou pensas que não existes
Ninguém que te veja

Que viagem é essa
Que te diriges em todos os sentidos
Andas em busca dos sonhos perdidos

Lá vai uma luz
Lá vai o demente
Lá vai ele a passar
Assim te chama toda essa gente

Mas tu estás sempre ausente e não te conseguem alcançar

Diz-me que loucura é essa
Que te veste de fantasia
Diz-me que te liberta
Que vida fazias

Diz-me que distância é essa
Que levas no teu olhar
Que ânsia e que pressa
Tu queres alcançar

Que viagem é essa
Que te diriges em todos os sentidos
Andas em busca dos sonhos perdidos

Lá vai uma luz
Lá vai o demente
Lá vai ele a passar
Assim te chama toda essa gente

Mas tu estás sempre ausente e não te conseguem alcançar

Mas eu estou sempre ausente e não conseguem alcançar
Não conseguem alcançar

(Sempre Ausente, António Variações)

7 Comments:

Blogger alma said...

ENTÃO,
Beluguinha ????

17/11/10 3:06 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Esta é a minha canção preferida do Antonio Variações!!

Obrigado beluga pelo post! Quando a oiço, sinto-me vomo um pagem, num jogo de espelhos...

beijo (a)

17/11/10 9:53 da tarde  
Blogger beluga said...

Cara Alma:
Tenho tentado postar ou pelo menos dar notícias, mas trabalhar e estudar ao mesmo tempo não é "pera doce" e não me tem sido possível. Apesar de andar muito ocupada, tenho me lembrado - e tenho pensado - se é isto que quero: apanhar overdoses de trabalho e de matéria para manter a mente como todas as mentes: ocupada. Penso se não me estou a afastar do meu objectivo de vida. Com esta idade queria estar a fazer outras coisas, queria ter conquistado outras coisas. Não queria um dia olhar para trás e ver que isto foi, não o que eu quis, mas o "menos mal". E depois... depois chega o fim do ano e o Inverno, chegam as resoluções de ano novo, os amigos a fazer de conta que se lembram e se preocupam. De ano para ano apercebo-me que estou sempre no mesmo sítio: a confiar que todas as pessoas têm bom fundo e depois, e por consequência, a ver que não. A pensar que ninguém me leva a sério. A pensar na razão pela qual não consigo gostar de ninguém nem consigo ser importante para quem quer que seja (família não conta). A sentir sempre esta solidão cá dentro... parece que me falta alguma coisa. E sinto mais isso à noite. Não quero uma vida com idas domingueiras a casa da sogra, nem passeios de mão dada, nem décimo terceiro mês. Só queria não sentir o que diz a canção.
Pronto, é isso.

Caro anónimo:
Eduardo, não é? Fim de ano já não vou aí. Tenho exames no início de Janeiro e quero ter boas notas. Para além disso sabes que não sou muito resistente ao frio e que o tempo assim me deprime. Marquei a viagem no Verão, numa altura em que ainda nem estava em aulas. Agora vejo que ir será um erro e um desperdício de tempo, pois teria tendência para me refugiar no quentinho do quarto de hotel e não iria aproveitar nada.

Pronto, e assim a internet fica a saber da minha vida.

20/11/10 12:11 da manhã  
Blogger teodolito said...

Gosto muito do poema desta canção.~
Força!

21/11/10 9:29 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Minha querida beluga, como soube q era eu?!!!
So escrevi como anonimo, pq sou de tal forma nulo nestas coisas da net que nem consigo me registar como utilizador!!
Que pena q ja n vem!!!mas enfim...realmente não é a melhor altura para visitar Paris..esta um frio horrivel( os meus ossos e as minhas articulações ja se ressentem disso!), mas isso não invalida que venha depois dos exames..
Adorava recebê-la por aqui, enquanto ainda vou estando por ca.

beijo (a)

muitoooooo

24/11/10 12:27 da manhã  
Blogger alma said...

BELUGA,
Muito obrigada pela sua missiva.
Fez muito bem voltar à Universidade não se vai arrepender tenho a certeza.
Passei por Ovar e lembrei-me de si ...
Continue os estudos que nós admiradores, aguentamos!
A vida que interessa é a sua vida interior, o resto são tretas
Aproveite o convite e vá até Paris
ver as modas...
Muitas felicidades e (ar)risque sempre

27/11/10 1:29 da tarde  
Blogger beluga said...

Caro (parece-me nome de um "caro" e não de uma "cara") Teodolito
Queria ver se postava mais. Até tenho vontade, mas falta-me o tempo. E como não gosto de deixar as coisas pela metade... prefiro não postar. Volte sempre

Caro Edu:
Adivinhei por causa da forma como se despediu. Bom, de facto já não vou aí. Mas como os exames acabam em fevereiro e o segundo semestre só começa em Abril, pode ser... Não que em Abril não esteja frio, mas pode ser que eu esteja menos cansada. Escrevo-lhe um mail para saber como vai a saúde. Beijo

Cara Alma:
Não desisto do curso. Posso não ser a melhor, mas agora só saio de lá no fim (Oxalá!). Acredito naquilo que diz, mas sabe como é... a inexperiência pode ser castradora a partir de uma certa idade. Tenho mesmo é de postar. Faz-me bem e eu gosto. Até breve. Espero.

1/12/10 1:23 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home