quarta-feira, março 10, 2010

- não vai mais vinho para essa mesa -


[à mesa]
- Este pão é diferente...
- Sabes quem é que estava a atender os clientes na padaria?
- Não.
- A Vera!
- Quem é a Vera?
- Eh pá, aquela bimba que usa as unhas tão compridas que quase parecem tenazes.
- Sim, essa! Já a vi lá mais do que uma vez. O que tem?
- Dormiu com o patrão e agora é patroa.
- Dormiu com o patrão? Mas ele não era casado? Quer dizer... de facto uma coisa não impede a outra...
- Dormiu com ele para subir, para ser promovida.
- Ser promovida a quê? Subir de papo-seco a brioche?

3 Comments:

Blogger João Barbosa said...

ahahahahahahah... a do brioche matou-me

10/3/10 7:10 da tarde  
Blogger AM said...

picante!
de papo-seco, a en-sonsa, a pão-doce enquanto o padeiro a-amassa
a Vera, vero, ainda vai acabar em docinho caseiro, com as unhas ruídas, traída pelo padeiro com uma baguete francesa
vai ver

10/3/10 8:58 da tarde  
Blogger beluga said...

Caro João Barbosa:
Nem pense em fazer piadas com o brioche que eu começo a corar. Não disse "brioche" com nenhuma intenção; na altura saiu-me. Nada me soou mais pomposo que brioche face a papo-seco.

Caro AM:
Não foi com essa intenção. Mas já estou a imaginar: quando o padeiro "amansou" a Vera, pensou nela como a "Vianinha" dele ou então pensou pôr o dente no seu "pão da avó" (ou até na avó da Vera, quem sabe que taras guarda um homem de bata branca). A Vera achava-se mais pão-de-ló com "pito" ("pito" é o centro do pão-de-ló onde estão os ovos moles), mas se ficar muito tempo com o padeiro, acaba traída por uma baguette e redonda como uma broa de avintes.

10/3/10 11:54 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home