sexta-feira, janeiro 22, 2010

- ars longa, vita brevis -
hipócrates

em vez de fazermos aqui um top 10 das exposições de 2009 ou da década passada (já passou ou ainda vai passar?), o Belogue apresenta as exposições que você não vai querer perder (não querer perder, mas vai perder porque a vida está cara) neste ano de 2010 que já começou, mas que ainda é brindado com um "Bom ano" e com as Janeiras. Cá estão elas:
Chris Ofili Tate Britain em Londres, de 27 de Janeiro a 16 de Maio. Este artista é "o verdadeiro artista". Ganhou notoriedade quando uma vez Rudy Giuliani, o então mayor de Nova Iorque considerou uma das suas obras presentes do Brooklyn Museum, doentia. Na Tate teremos oportunidade de ver alguns dos seus trabalhos mais espirituais desde 1990 até aos nossos dias em cerca de 45 pinturas e aguarelas.
“Utopia Matters: From Brotherhoods to Bauhaus” é uma exposição que estará patente no Museu Guggenheim de Berlim, de 23 de Janeiro a 11 de Abril. Nunca as ideias utópicas acerca da sociedade e do futuro da mesma estiveram tão em voga, não só no que diz respeito ao pensamento sociológico, mas também no que à estética concerne. A exposição segue o percurso da Bauhaus e dos movimentos utópicos ao longo de 130 anos desde o século XIX até 1933 quando Hitler mandou fechar a escola e mostra os nazarenos, os Nabis, os Pré-Rafaelitas, os Arts and Crafts de William Morris, o Neo Impressionismo, o Modernismo, o Construtivismo Russo e a Bauhaus. Há também um passeio até às novas sociedades utópicas, sedeadas na internet e aos artistas contemporâneos.
No Den Frie Center of Contemporary Art e no National Museum da Dinamarca, de 8 de Janeiro a 14 de Fevereiro será possível apreciar a exposição “Tupilakosaurus: Pia Arke’s Issue with Art, Ethnicity, and Colonialism, 1981-2006,”. É uma exposição acerca do pós-colonialismo e de como este faz a ponte com a arte pós-moderna. É também uam exposição essencialmente sobre a Dinamarca, a sua localização geográfica, a sua história como nação colonizadora que contribuiu para o seu isolamento, e tudo isso vem ao de cima pela mão de uma artista dinamarquesa já falecida que mistura a fotografia, a instalação, o vídeo e a pintura.
De 20 de Março a 3 de Junho (é pouco tempo, eu sei) pode ir até à Polónia, Varsóvia para ver no Zacheta National Gallery of Art a exposição “Gender Check: Femininity and Masculinity in the Art of Eastern Europe”, que me parece, só pelo nome, ser muito bom. Esta exposição mostra como evoluiu o papel dos géneros na sociedade: primeiro com privilégios para o homem, depois com a emancipação feminina e agora com crescente coro, formado por homens e mulheres que reclama um regresso da mulher ao lar. Ao longo de obras de cerca de 200 artistas e 400 trabalhos será possível explorar a primeira grande exposição que fala dos papéis de género na Europa desde os anos 60.
Em Paris, na Fundação Cartier estará exposta a mostra Beat Takeshi Kitano de 11 de Março a 12 de Setembro. Como o nome diz, é uma exposição sobre o realizador, actor, poeta, comediante, professor e pintor japonês que tem sempre uma tendência sádica nos seus filmes e nas suas pinturas. A exposição inclui vídeos, filmes, objectos, pinturas que exploram os clichés através dos quais o Japão se mostra e os outros o percebem.

Por fim, a exposição homónima de Felix Gonzalez-Torres, Specific Objects without Specific Form, estará patente no WIELS Contemporary Art Centre em Bruxelas até 25 de Abril. Felix Gonzalez-Torres não foi muito conhecido e para além disso teve vida e obra breves. Os seus trabalhos essencialmente conceptuais são no entanto conhecidos: uma vela deixada para os visitantes dos museus, fotografias que mostram uma cama e duas almofadas, luzes brancas de Natal pela rua fora... Talvez o título da exposição diga mais sobre ela do que a própria: Objectos específicos sem uma forma específica, mas para já fica a garantia desta exposição ter um carácter itinerante e interactivo. Não é uma exposição terminada pois nos diferentes países um artista completará a mostra.

2 Comments:

Blogger alma said...

Beluga,
Muito obrigada pela lista!
Berlim e Bauhaus ligam bem :)

22/1/10 4:00 da tarde  
Blogger beluga said...

Cara Alma:
A lista não é minha, é do artinfo. Tive de eliminar uma escolha deles porque me pareceu o tipo de coisa que jamais recomendaria (uma joana vasconcelos qualquer).

Só por causa da Bauhaus vou postar uma coisa que tenho a certeza, vai gostar. Se não gostar...


eu logo vejo.

23/1/10 12:56 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home