sábado, fevereiro 14, 2009

- o carteiro -

Caro Anónimo:
tenho de lhe pedir desculpa e dizer-lhe que não tenho aquele sistema de enviar mails sempre que há um comentário no Belogue. Se calhar devia ter pois assim não passava nem por presunçosa nem por mal educada. Acredite que não respondi no dia foi porque não vi o comentário (geralmente só respondo aos comentários do dia anterior. mas não é por mal; é só porque estão mais frescos na minha memória).
Para falar (escrever) a verdade, nunca me tinha dado conta que as crianças diziam lésmica. E até lhe digo mais: não dizia lésmica nem lémia porque quando os meus progenitores me pediram para me sentar e ouvi-los pois iam explicar-me como nasciam os bebés, respondi "não estou interessada". Nem sei se sabia da existência da homossexualidade, vivia num mundo à parte. Tem sorte, na sua casa não se riam e na minha o meu avô dava-me um rebuçado por cada vez que eu dissesse o nome daquilo que me ia dar. Só que eu dizia "rabuçado" e o meu avô ria-se. Bem... quer dizer, também tinha sorte quando os rebuçados eram aqueles caramelos de Espanha ou os de mirtilo da Penha... Flocos de neve é que não me motivavam.
Este espaço não tem íntimos; ou seja, quem for aparecendo, torna-se "íntimo", mas ninguém tem prerrogativas.
Viu este blog numa revista de arte? Não terá sido a L+Arte? Mas isso já foi há muito tempo...
Volte sempre e desculpe-me este descuido nas respostas céleres.

3 Comments:

Blogger João Barbosa said...

Oh Beluga, quendera (quem me dera) ter sido eu este anónimo para merecer tanta atenção de sua parte. O meu coração lacrimeja de inveja e ciúme.
.
.
.
pois que gosto muito de cá vir e de a ler e não a descobri em nenhuma revista... a menos que seja a dita cuja da Norma Jean, que era pequenina, magra e ladina, coisa que também me parece que é... mas é só um suponhamos.
.
.
.
saludos... bem, abandonei o jantar e o charuto no cinzeiro, volto para o meu Romeu y Julieta

14/2/09 1:08 da manhã  
Blogger AM said...

eu "achei" a beluga no saudoso "formiga" do fernando (e da beluga)
como é que fui lá parar já não me recordo (e também não interessa nem ao menino jesus quanto mais à menina beluga e aos leitores destas caixas de comentários...)
já agora, do que eu gosto mesmo é da palavra lesbiana, como em lesb&ana (ou freud&ana, que é uma das antigas dos GNR's...)
agora que as mulheres vão para a tropa, para o exercíto e para as forças de segurança (viva!) à procura da "estabilidade" e da "segurança" que dantes só com o (com um bom...) casamento, pensei que isto da lesbiana dos gnr podia vir a calhar
(eu calo-me já)
vivam todas as pessoas que vivem num mundo à parte!
viva a beluga!

14/2/09 2:07 da tarde  
Blogger beluga said...

Caro João Barbosa:
não seja injusto: dou a mesma atenção a toda a gente. posso dar uma atenção diferente a certos comentários ou posso mostrar mais intimidade com alguns comentadores que conheço pessoalmente, mas nunca privilegio ninguém. que eu ache.
Norma Jean, quem me dera!

(Isso do Romeu e Julieta é um vinho, é o romance ou é o queijo com marmelada que aqui se chama "romeu e julieta").

Caro AM:
já não me lembro como é que descobri o AM, mas deve ter sido mais ou menos como me descobriu. é "lesbiana" e "anoréxica". essas duas palavras soam tão mal... parecem um grande (dois grandes) erros de português. Tal como disse o AM é bom que a mulher se emancipe e vá à tropa e se assuma lésbica. Acho é que por vezes o lesbianismo é adopado pelas mulheres como forma de agradar aos homens. mais do que experimentarem a sua dualidade sexual (porque acho que a sexualidade não é estanque) em favor delas, propalam o acto para agarrarem e agradarem maridos. Mas se calhar sou só eu a pensar.
bem, nem queira saber como o meu mundo de infância e adolescência foi um mundo à parte. Não foi uma infância típica, normal, mas se me deixou traumas, não os reconheço. E aceito o que aconteceu porque se não fosse isso eu não seria quem sou, embora não o deseje a ninguém.

15/2/09 10:07 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home