segunda-feira, janeiro 18, 2016

- ars longa, vita brevis -
Hipócrates
 
olá a todos. estão bões, depoises das festas? espero que estejaindes. bem, eu estoi boazinha a oubir uma coisa que nem bos passa pela cabeça. nem bou dizer que é para não parecer muito mal. já basta postar Madonna de vez em quando e gostar do "Last Christmas" dos Wham! para estes dias, deixo um post do qual vocês vão dizer "ena, não tem nada a ver". mas tinha de ser, porque eu acho que tem a ver. As duas pinturas têm coisas em comum: têm datas aproximadas, foram pintadas por dois impressionistas (um francês e outro americano), retratam um dia de chuva e até têm títulos aproximados. Se bem que nisto de títulos, não convém fiar pois os títulos são geralmente dados à posteriori e pelos historiadores, não pelos artistas. Mas há mais uma coisa que têm em comum: captam o mesmo ponto de vista de praças diferentes (a de Caillebotte em Paris e a de Childe Hassam em Boston, segundo o título), com o seu prédio em gaveto. Gosto mais do quadro do Caillebotte, embora deva confessar que no geral, o quadro do Hassam retrata melhor uma tarde de chuva, com esta a tornar o ambiente difuso, a toldar-nos a visão... Mas a água entre as pedras da rua, e a forma como ela reflecte o que à volta se passa, é algo que me dá uma espécie de felicidade. Para além disso, o quadro do Caillebotte tem dois outros aspectos que o de Hassam não tem e que me deixam muito mais próxima deste dia chuvoso em Paris do que do dia chuvoso de Boston. Um deles é a divisão do quadro em duas partes, sendo que a linha vertical do candeeiro as define. Do lado esquerdo da pintura estão as pequenas figuras enquanto do direito, as grandes. O outro aspecto é a presença da personagem, em primeiro plano, de costas para nós, como se se tivesse atravessado à nossa frente no momento em que estávamos a clicar na máquina fotográfica (nesta altura já a fotografia tinha sido "inventada"). O quadro do Childe Hassam, não tem estas subtilezas; é mais plano, mas mais fiel à realidade. bem, bou para dentro que a minha bida não é só isto. beijinhos e portem-se bem que deus está lá em cima a olhar para tudo o que fazem.
















Gustave Caillebotte
Paris Street, Rainy Day
1877
Art Institute, Chicago













Childe Hassam
Rainy Day
1885
Toledo Museum of Art, Toledo, Ohio

Claro que a luz de Boston não é a luz de Paris...  

2 Comments:

Anonymous pedro said...

Que impudência, referir-se assim ao Nosso Senhor! Brincar com o Seu (dele) sagrado nome!
Além disso, os quadros têm medidas (i.e. formatos) diferentes.
Votos de um bom ano.
Abr.,
Pedro B.

21/1/16 5:06 da tarde  
Blogger beluga said...

Olhe, por acaso não reparei nisso. Ainda bem que o professor está aí!

22/1/16 8:59 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home