sexta-feira, abril 10, 2009

- ars longa, vita brevis -
hipócrates

"Louvai o Senhor na santidade do seu templo
Áaa-lé-lui-a, Á-lé-liu-aaaa
Louvai-ooo no firmamento do seu poder
Á-lé-lui-aaa Ááa -lé -lui-aaaa..."

Quem cá vem sabe que nós não somos muito apologistas do kit "sempre comentado" ("que giro", "adorei"), frase feita+quadro, mas como esta não é uma frase feita qualquer e também não é um quadro, deixamos aqui a história desta Pietá do Miguel Ângelo. Certo dia inquiriram-no sobre a juventude da Virgem...

em comparação com a juventude do filho morto...


na Pietá. A Virgem estav de facto muito "remoçada". Nova demais para ser mãe de alguém com 33 anos. O escultor/arquitecto/pintor/humanista respondeu:
"Do you know that women who are chaste remain much fresher than those who are not?"
Boa Páscoa (isto não foi ele que respondeu)

Miguel Ângelo
Pietà
1499
Basilica di San Pietro, Vaticano

11 Comments:

OpenID quando-as-catedrais-eram-brancas said...

A grande dúvida aqui, como no Back in Black, é saber se o homem falava mesmo inglês...

10/4/09 12:35 da manhã  
Blogger beluga said...

caro/a quando as catedrais são brancas:
tenho quase a certeza que o disse em italiano, mas não queria deturpar a citação e escrevi como li. eu sei: mea culpa, mea culpa, mea culpa

(é "back to black")Como nunca o/a vi aqui, seja bem vindo/a

10/4/09 12:42 da manhã  
Blogger João Barbosa said...

uma das coisas que gosto em si é a de provocadora cordata. dá umas alfinetadas com ar de quem o fez sem querer. adorei esta sua posta.

10/4/09 11:34 da manhã  
Blogger AM said...

o que eu sei é que tanto os originais como os esculpidos estão (after all these years...) 'stupendos!

10/4/09 8:32 da tarde  
Blogger beluga said...

Caro João Barbosa:
bom... se é assim tudo bem. mas olhe que não é uma crítica à Virgem ou à Igreja (que a Virgem não tem culpa de nada). É mais uma crítica a quem não acredita em pessoas razoavelmente castas e completamente virgens.

Caro AM:
estão muito bem. quando vi a pietá ao vivo e a cores (pareço aquelas pessoas que fazem tudo para dizer que viajam), senti um aperto tão grande cá dentro por saber que não iria ser capaz de recordar com precisão todos os pormenores, que até me envergonho disso. é muito proustiano

12/4/09 12:39 da manhã  
Blogger AM said...

partilho essa sua angústia proust&ana (se a belga o diz...) por antecipação...
(eu até tenho medo de visitar as escadas da biblioteca laurenz&ana...)

12/4/09 3:38 da tarde  
Blogger AM said...

que não é belga é beluga

12/4/09 3:39 da tarde  
Blogger beluga said...

Caro AM:
sempre pensei que a Bélgica era uma rua a subir e outra a descer e que em termos de interesse ficava ao nível do Luxemburgo e do Canadá (são aqueles países que não gostaria de visitar).

Não percebo a fixação que muitos arquitectos têm com a escadaria da Biblioteca Laurenciana. É claro que, como nunca vi (ao vivo), não posso dizer muito, mas então e a escadaria da Villa Farnese do Vignola? Das fotografias que tenho é igualmente digna de fixação.

14/4/09 12:39 da manhã  
Blogger AM said...

tb gosto
mas "em carocal" como essa, gosto de tantas... (e até já fui postando sobre algumas delas...)
quem sabe um dia eu não me arrisco a postar sobre a escada da biblioteca...

15/4/09 10:45 da tarde  
OpenID quando-as-catedrais-eram-brancas said...

Em primeiro lugar peço desculpa pelo atraso. Perdi o fio à meada.
Em relação ás boas vindas que me dá, agradeçO; mas estava, claro, á espera de uma recepção mais calorosa, depoios daquele jantar tão neo-romântico (http://quando-as-catedrais-eram-brancas.blogspot.com/2009/03/blind-date.html.)
ái q'estas mulheres são tão esquecidas (ou se calhar têm memória selectiva, o que ainda é pior - para mim :)

17/4/09 7:38 da tarde  
Blogger beluga said...

caro quando as catedrais era brancas (ufa):
sorry, sorry, sorry.

18/4/09 12:52 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home