segunda-feira, novembro 26, 2007

- ars longa, vita brevis -
hipócrates

Suspeita até dizer chega, posso dizer que gosto muito deste Caravaggio (mas qual é o Caravaggio de que não gostas?, pergunto-me). Parece simples, inofensivo, até enjoativo, pintura de corredor para pendurar por cima de uma cómoda cheia de fotografias dos netinhos em molduras que ficam a dever muito ao bom gosto. A casa a cheirar a bolinhos de bacalhau, a cão (um caniche) e a “lavage”, porque nestas casas há sempre muito asseio.

Mas a “Fuga para o Egipto” é realmente muito bonita não por aquilo que conta, mas pela forma como o faz e a razão pela qual é pintada. A “Fuga para o Egipto” foi uma das passagens apócrifas que sobreviveram ao Concílio de Trento. Não tem lugar na Bíblia, mas tal como a morte da Virgem, ou de Santa Ana, não foi questionada e passou a fazer parte da biblioteca de qualquer cristão. Mesmo que um cristão qualquer como a minha avó não soubesse, quando ainda falava e estava na posse de todas as suas capacidades mentais, que Santa Ana era mãe da Virgem Maria. Caravaggio pinta esta cena individualizando cada uma das personagens usando para isso a figura de um anjo com panejamentos sugestivos que se coloca entre São José (do lado esquerdo da pintura, a segurar a pauta musical para o anjo, andrajoso como um pedinte, com o vinho à mão e a cabeça ao mesmo nível da do burro que surge por trás) e a Virgem Maria que segura o menino a dormecido. O fundo foi feito à moda de Giorgione, mas muito melhor, se é que isto se pode dizer, mas há uma alusão às paisagens do século XVI). Não sei se era o que Caravaggio pretendia, mas toda a envolvência do quadro provoca-nos sono, vontade de, como eles, tirar uma sesta. Para revestir a cena de mais realismo foram pintados pormenores com as folhas e as pedras. Coloca também na obra o anjo cuja figura, importância e uso também pode ser encontrada na pintura “A escolha de Heracles” de Annibale Carracci. Não é o mesmo anjo, mas é uma figura que divide a pintura da mesma forma.


Caravaggio
Rest on Flight to Egypt

1596-97
Galleria Doria-Pamphili, Roma

O anjo toca "Quam pulchra es...", de Noël Bauldewijn, uma composição do Livro Cântico dos Cânticos (7,7); ou seja, o momento do diálogo entre o noivo e a noiva que neste caso seriam à primeira vista José e Maria. Só ques estes dois não podiam ser mais a antítese um do outro do que aquilo que são: José parace muito mais velho que a noiva e esta não lhe terá sido exactamente fiel. Veja-se como ela é ruiva (uma Virgem ruiva é uma novidade) e o seu filho tem o cabelo entre o ruivo e o louro. Há mais intimismo entre mãe e filho do que entre noivo e noiva. O principal tema da pintura também não é a fuga para o Egipto (“E, tendo eles se retirado, eis que o anjo do Senhor apareceu a José em sonhos, dizendo: Levanta-te, e toma o menino e sua mãe, e foge para o Egipto, e demora-te lá até que eu te diga; porque Herodes há de procurar o menino para o matar. E, levantando-se ele, tomou o menino e sua mãe, de noite, e foi para o Egipto. E esteve lá, até à morte de Herodes, para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor pelo profeta, que diz: Do Egipto chamei o meu Filho. Morto, porém, Herodes, eis que o anjo do Senhor apareceu num sonho a José no Egipto.” – Mateus, 2, 13-19)

Eu diria antes que o tema do quadro é a música e como ela se transforma no meio de comunicção entre Deus e os homens. Se Deus fala com os homens através de anjos, e estes falam aos homens de música, logo a música é o tema. É o tema que liga o mundo celestial ao mundo terreste. É também o anjo que separa o mundo celestial do mundo terrestre; ou seja, o mundo de S. José do da Virgem Maria.

Annibale Carracci
The Choice of Heracles
1596
Museo Nazionale di Capodimonte, Nápoles

2 Comments:

Blogger João Barbosa said...

Já sei que vai ter um ataque de modéstia e/ou insegurança. Já sei que vai dizer que só no primeiro ano de blogue é que escreveu de modo interessante.
.
.
.
Lérias. Está aqui mais uma bela posta!

26/11/07 9:59 da manhã  
Blogger beluga said...

O Caravaggio é que era bom. Eu remedeio.

26/11/07 10:30 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home