terça-feira, outubro 09, 2007

- o carteiro -
nunca aconselhei ninguém a ler os meus posts, mas aconselho este:
Há cerca de um ano em Jena, Louisiana, um caloiro negro do liceu local desafiou os colegas brancos ao perguntar se os negros se podiam sentar debaixo daquela árvore. A árvore em questão estava no centro do pátio da escola, para alguns alunos era uma “árvore de preparação”, enquanto para outros era apenas uma árvore sob a qual brancos e negros se podiam sentar. Mas havia quem tivesse a árvore na conta de árvore só para brancos, o que queria dizer que a sombra da árvore era para ser apreciada apenas por estudantes brancos. Um dia, numa reunião geral de alunos Kenneth Purvis, um aluno negro colocou a questão ao director: era aquela árvore apenas para brancos? Podiam os negros sentar-se debaixo daquela árvore? O director disse que sim, que qualquer estudante fosse negro ou branco se podia sentar sob a copa da árvore. Nesse dia Kenneth e os amigos fizeram isso, sentaram-se à sombra da árvore. No dia seguinte, os estudantes deparam-se com cordas penduradas na árvore tendo estas a particularidade possuírem nós para enforcamento. Estavam portanto penduradas na árvore, forcas ainda sem enforcados. Mas era um aviso… O director expulsou três estudantes brancos que confessaram ter pendurado as cordas, mas um comité especial anulou a decisão e transformou a expulsão numa suspensão de três dias e retorno posterior à escola após um breve período numa escola de correcção. Três meses depois um estudante branco de seu nome Justin Baker terá passado por um grupo de estudantes negros e atirou-lhe com a palavra “noose” (forca). Nessa noite, Justin foi espancado até ficar inconsciente por seis estudantes negros no caso que agora é conhecido como “Jena 6”. Justin ficou com um olho esmurrado, e a sangrar do nariz e dos ouvidos. Nessa mesma noite foi tratado, recebeu alta e ainda compareceu a um evento escolar onde recebeu o seu anel de “fim de curso”. Foram detidos seis alunos negros: Robert Bailey Jr., 17; Mychal Bell, 16; Theodore Shaw, 17; Bryant Purvis, 17; Carwin Jones, 18; and Jesse Ray Beard, 14, todos eles membros da equipa escolar. Dos seis estudantes, quarto deles tinham 17 anos o que no Estado em questão é considerado idade maioritária. No início cinco deles foram acusados de tentativa de homicídio, embora esta acusação tenha sido revista e reduzida para homicídio em segundo grau. Todos os alunos foram expulsos excepto Beard que jogou pela equipa da escola. A única pessoa detida menor de idade foi considerada inocente, mas essa convicção sofreu um revés e numa apelação o caso foi enviado para o tribunal juvenil. Surgiram logo sites de incentivo à chacina dos Jena 6, e durante todo este tempo, um ano praticamente, a supremacia branca ganhou terreno naquela cidade do Louisiana. Os “cabeça de vela” dos membros do KKK já estiveram em Jena e o Mayor não achou problema nenhum nisso; um site neo-nazi colocou on-line os nomes, as moradas e os números de telefone de alguns dos seis jovens negros e dos seus familiares, no mesmo site foi feito um alerta a todos os interessados para que encontrassem e arrastassem para fora de casa os familiares dos detidos. (onde é que eu já ouvi isto?!).

Após isso um grupo que proclamava a supremacia branca no Mississipi juntamente com o Mayor de Jena e o jovem branco que foi atacado pelos seis negros, conduziu e publicou várias entrevistas. Numa delas o Mayor Murphy McMillin pede esforços pró-arianos para demonstrações pelo país, e o jovem atacado, Justin Baker pede aos leitores brancos para "realize what is going on, speak up and speak their mind."

Há pouco tempo John Mellemcamp lançou a música “Jena”. O vídeo já está disponível no youtube e escarafuncha tanto a ferida que o próprio Mayor já veio dizer que o vídeo era inflamatório, como se não tivessem sido inflamatórias as investidas dos grupos pró-arianos. Disse mais: “so inflammatory, so defamatory, that a line has been crossed and enough is enough." Eu também acho (não que alguém me tenha perguntado, mas quando chega, chega!) O KKK é que está muito magoado e já veio dizer que não vai comprar nenhum disco de John Mellencamp, o que nem é bom nem mau: bem vistas as coisas, os próprios cabeças de vela já fizeram mais publicidade com este caso do que qualquer menina com as mamocas à mostra ou escândalo sexual.
(link) mais uma vez, a Fox (shame on me!)

3 Comments:

Blogger João Barbosa said...

o que mais me intriga é como uma organização terrorista (KKK) não faz parte da lista de organizações terroristas dos EUA.

9/10/07 10:00 da manhã  
Blogger AM said...

"perguntar se os negros se podiam sentar debaixo daquela árvore" !?

9/10/07 9:24 da tarde  
Blogger beluga said...

caro João Barbosa:
Parece que o grupo, esse e outros, têm boa e grande aceitação em certos estados.

Caro AM:
Inicialmente e com a segregação racial, os negros não se podiam sentar debaixo da árvore.

10/10/07 1:26 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home