segunda-feira, novembro 14, 2005

TÃO LÍRICOS QUE NÓS ESTAMOS

Deus escreve em folhas de papel couché mate, 120gr

Um dia pediram a Caravaggio que criasse a Inspiração de S. Mateus para a capela Contarelli em Roma. O pintor fez esta primeira versão que não foi aceite e que acabou queimada na Segunda Guerra Mundial. Mostra um homem comum, como era próprio de Caravaggio, com mãos grossas, calvo, figura musculada de homem que trabalha no campo, unhas dos pés sujas, olhos muito abertos, posição improvável para escrever. É, sem dúvida um homem que não sabe escrever. Não há qualquer dignidade na figura, nas suas vestes, na forma infantil como cruza o joelho sendo que um dos pés não chega ao chão. O anjo guia a sua mão pelo livro; a sua função é a de um professor e não de um inspirador.


Michelangelo Merisi da Caravaggio
S. Mateus e o Anjo
1602
Formerly Kaiser-Friedrich, Berlim
(foi destruída na Segunda Guerra Mundial)

Na segunda versão o anjo surge do céu, com um pormenor muito bonito no desenho das mãos. Parece estar apenas a enumerar a S. Mateus aquilo que não deve esquecer.


Michelangelo Merisi da Caravaggio
A inspiração de S. Mateus
1602
Contarelli Chapel, Igreja de San Luigi dei Francesi, Roma

Deus escreve certo por linhas tortas, ou mesmo em folhas de desenho.

1 Comments:

Anonymous umavoltanoparque said...

foda-se, belo como o caraças

15/11/05 11:53 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home