sexta-feira, julho 30, 2010

- não vai mais vinho para essa mesa -

o que me deixa assim com esta cara de flato é não saber jogar o jogo. porque é que uma pessoa tem de seduzir? porque é que não pode simplesmente dizer o que sente? se eu dissesse o que sinto, ficava sem cara de flato e de bem comigo. perco em todos os jogos, até ao burro em pé. só não perco a jogar Trivial porque, lá está, é uma questão de certo ou errado. O que eu queria mesmo, era não estar a chorar como uma Madalena, em tempo real, como se tivesse 16 anos (eu que nunca tive 16 anos!) nem escrever este tipo de posts, mas poder dizer-lhe que gosto dele. E que nem me importa que ele goste de mim ou não, que o que me move é tirar de cima de mim esta sensação de impotência, de fraqueza, de falta de rumo sempre que chega o fim-de-semana quando estou com os amigos e parece que nem estou. o que eu queria era não me sentir impelida a fazer coisas que jamais faria em outras ocasiões ou que vão contra os meus princípios. pelo menos com o outro já sabia ao que ia, o que era suposto existir entre nós. mas aqui, isto é unilateral, é um jogo a um. poderia ser unilateral para o resto da existência e eu completar os espaços em branco com a minha imaginação. o que me irrita é que tenho mesmo de jogar o jogo, para ser uma pessoa normal como dizem, uma pessoa que não se exime face à liça. jogar e saber que no fim, mais uma vez vou perder, vou sentir-me magoada e vou andar mais outro tanto até sentir que se calhar, se calhar, a culpa não foi minha, que se calhar não sou uma criatura odiosa e que se calhar até posso almejar voltar a pensar nisso. cair e levantar, cair e levantar como uma tontinha

2 Comments:

Blogger João Barbosa said...

claro que não vai perder! ânimo!

30/7/10 7:51 da tarde  
Blogger beluga said...

nem sei que lhe diga.

2/8/10 12:06 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home