segunda-feira, agosto 19, 2013

"xiguei". alma e antónio, desculpem se não sou tão interessante ao vivo como no blog. aliás, o meu psiquiatra uma vez disse-me isso. mas não se pode ter tudo.

7 Comments:

Anonymous pmramires said...

Não concordo com o psiquiatra.

23/8/13 8:12 da tarde  
Blogger beluga said...

olá pedro:
vou encarar isso como um elogio porque hoje estou a precisar. é muito simpático. tinha uma professora que quando falava de livros e de filmes (relativos aos respectivos livros) dizia que não se podia comparar obras diferentes, que não se podia dizer que o filme era inferior ao livro ou vice versa porque os objectivos dos autores eram diferentes. geralmente quem lê o livro (blog) vê o filme (a vida real) depois e acha sempre que o filme é mauzinho. sei que sou melhor lida que ouvida, mas isso é por muitas coisas. uma delas porque nem sempre me passam coisas interessantes pela cabeça. na maior parte dos dias a cabeça quer é sobreviver.

tinha muitas coisas para dizer. ainda por cima hoje (estou a ouvir bon iver, já dá para perceber que isto hoje está de cortar os pulsos), mas não pode ser. isto é um blog familiar, criado na melhor tradição (como diria a ana) e eu vou deixar as minhas cenas para mim.

de qualquer forma, obrigada. até parece que estou a fishing for compliments

23/8/13 11:48 da tarde  
Anonymous pmramires said...

Olá Beluga,
(vou correr o risco de ser pedante)

Fazes muito bem em encarar como um elogio.
Quanto ao que escreves: acho que toda a gente devia ser Aristotélica e/ou Kantiana: não misturar categorias, não cometer erros ontológicos. Cada coisa deve ser avaliada a uma luz diferente. Como diz Wittgenstein: cada coisa tem a sua própria métrica, ou gramática.
A pessoa culta (no sentido aristotélico, de saber avaliar as coisas e saber porque janela olhar cada uma) não avalia "filmes", "livros" e "pessoas" pela mesma tabela.
Numa palavra: está tudo bem contigo, não te preocupes.

Beijo.

24/8/13 1:06 da tarde  
Blogger beluga said...

nada disso! se há pessoa, daquelas que vêm ao blog, que pode falar disso és tu. (palmadinhas nas costas) não desfazendo as outras pessoas que passam pela caixa de comentários. de kant li um texto breve: "o que é o iluminismo". percebi que ele de facto não avaliava tudo pela mesma bitola: razão e fé eram compatíveis.

ouço beck. chorei, mas que se lixe

25/8/13 10:41 da tarde  
Blogger beluga said...

estou a passar-me

26/8/13 10:50 da tarde  
Anonymous pmramires said...

Take it easy, Beluga.

Em breve tomamos outro café, num pátio fresco também.

Para animares, deixo-te um poema divertido da Emily Dickinson, para através dela comungarmos.

I'm Nobody! Who are you?
Are you – Nobody – too?
Then there's a pair of us!
Don't tell! they'd advertise – you know!

How dreary – to be – Somebody!
How public – like a Frog –
To tell one's name – the livelong June –
To an admiring Bog!

Beijo.

27/8/13 8:04 da tarde  
Blogger António Machado said...

que nada :) para a próxima, norte! :) (venha desconversar para o tuiter) :)))

2/9/13 3:29 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home